Sindisaude
54 3221.7453
54 9635.0765
23 de Março, 2020

Evitar aglomeração é fundamental para receber a vacina da gripe

Com a antecipação da vacina da gripe para esta segunda-feira (23), surgem dúvidas, na medida que o serviço está à disposição nas Inidades Básicas de Saúde (UBS). A dúvida que fica é sobre como os idosos devem proceder nestes dias, quando a probabilidade de contágio deve ser maior, principalmente para o público mais vulnerável.

O geriatra Fábio Letti acredita que seria preciso um planejamento segmentado por bairros em Caxias do Sul, para evitar as aglomerações. Para quem for aos postos de saúde, as dicas são aquelas que estão sendo amplamente divulgadas. 

— Tem que deixar um espaço de 1,5 metro entre as pessoas na fila e ter o maior cuidado com aglomeração. Não chegar próximo do profissional que vai aplicar a dose e, se for aplicada em uma sala, entrar uma pessoa de cada vez — recomenda o especialista, que complementa:

— Quem deve usar máscara, segundo os infectologistas, são as pessoas que estão com algum tipo de resfriado e profissionais da saúde. Sugiro que o idoso use máscara para ir se vacinar porque previne o contágio. Luvas acho que não tem necessidade. 

Cidades da Serra apostam em outras estratégias neste momento. Bento cancelou a imunização nos postos e fará em domicílios. O mesmo será feito em Garibaldi. Em Farroupilha, as unidades de saúde irão realizar a vacinação dentro dos carros.

PROTEÇÃO 

A vacina trivalente protege contra três tipos de vírus influenza — A (H1N1), A (H3N2) e B — e leva em torno de 15 dias para fazer efeito. Embora não defenda o organismo contra o coronavírus, as autoridades de saúde ressaltam que a imunização ajuda a combater indiretamente a pandemia, uma vez que diminui o número de internações por gripe, facilita o diagnóstico da covid-19 e evita casos em que o novo vírus contamine pessoas já debilitadas pelo influenza. 

— A vacina contra a gripe reduz o índice de internação hospitalar, principalmente entre os idosos. Neste momento, quanto mais leitos ficarem disponíveis para o tratamento de pacientes com coronavírus, melhor — explica Adriane Borella, enfermeira da Vigilância Epidemiológica. 

 Também integram os grupos de risco professores de escolas públicas e privadas, profissionais da segurança, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, crianças de seis meses a seis anos incompletos, gestantes, mulheres que deram à luz há menos de 45 dias, povos indígenas, população carcerária e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos que cumprem medida socioeducativas. Esses públicos serão contemplados nas fases seguintes da campanha. 

O período de vacinação segue até 22 de maio. A meta é imunizar 90% dos grupos prioritários. O importante, neste momento inicial, é que o idoso faça a imunização, segundo o geriatra.

— Os idosos podem e devem fazer a vacina, até para diferenciar esse caso se depois tiver o corona. Fazendo a vacina, não terá a possibilidade de ser influenza. Estamos pedindo que todos façam a vacina — ressalta.

Com informações do jornal Pioneiro

VOLTAR PARA LISTA DE Notícias Destaque